Skip to content
23 de maio de 2017 / dosesdeincoerencia

Do amor que digo

Muitas vezes digo que te amo porque são tantas coisas que passam em nossos dias, que eu acho extremamente importante fortalecer a palavra amor
Quando digo que te amo estou dizendo:
– estou aqui por você
– estou aqui para você
– estamos juntas
– gosto de estar com você
– gosto de te ver feliz
– tomara que minha mensagem te traga um sorriso
– queria estar com você agora n’uma praia em búzios comendo peixe sem preocupações

Mas é bem verdade que as vezes eu só queria me sentir amada também, e queria ouvir um “eu te amo” de volta.

Tem me faltado amor no dia-a-dia.
Tem me faltado ter a certeza de que você está ali por mim, para mim, e que tente me fazer sorrir ocasionalmente. Adorava acordar com você tentando logo cedo trazer um sorriso para o meu rosto.

Não vou deixar de dizer que te amo.
Mas será que pode uma vez que seja responder “eu também”?

Anúncios
23 de maio de 2017 / dosesdeincoerencia

Sobre meu corpo lento

Hoje meu corpo resolveu entrar em greve
Minha cabeça pesa
Meus passos não alcançam os ritmo costumeiro
Tudo está mais lento, até a minha dor

A lágrima que cai dos meus olhos já não tem cólera ou desespero
É uma lágrima resignada, que sabe que precisa cair e que não serve para nada
Ela simplesmente está.
Assim como eu simplesmente estou
Não sei mais onde, com quem, ou para qual direção
Talvez por isso o passo lento e o corpo pesado
Talvez o corpo esteja tentando dizer: enquanto não sabes, não te apresses.

23 de maio de 2017 / dosesdeincoerencia

Do que quero

Passo o dia escrevendo coisas que você não vai ler
Escrevo, apago, tento desapegar do que me conecta a ti.
Não sei mais meu lugar na sua vida, e tudo o que eu quero fazer (e as vezes faço) simplesmente parece errado
Como se eu tivesse disposta (e estou) a te dar todo o melhor de mim
Mas você simplesmente não quer… mais.
Já quis, já fui “a melhor coisa que te aconteceu” (sic), e hoje parece que sou só um peso morto na sua vida
Alguém que te prende
Alguém que te exige
Alguém que não te serve mais

E ainda sim eu amo.
E isso me doi tanto, e me deixa tão confusa.
Mas, saiba. não quero mais nada do que isso: amor!

24 de setembro de 2015 / dosesdeincoerencia

do tempo que passou

engraçado como quase nada mudou.
A frustração dos grandes sonhos não realizados continua, e agora não se sabe mais sonhar tão alto.
A repelência da família a minha sexualidade permanece intacta

A diferença é que já não ligo para nada disso. E nem falo de apatia, mas de estar tão cansada de lutar contra tudo (ou o nada), que já não importa mais: a opinião que não transmite aceitação; o que vai ser do ano que vem; o que vai ser dos nós no futuro.

Quero o hoje: o encontro no final do dia, os devaneios no bar, os cochilos de Domingo a tarde. E direcionar o passo pr’aquilo que transmite benesse no aqui-e-agora.

24 de setembro de 2015 / dosesdeincoerencia

Lembrete

Respira, menina.
Mesmo nesse turbilhão, pára,
respira
olha o tanto de tudo e vê como nada importa.

Se nada importa, pára,
respira
e vê o tudo de tanto, e percebe os detalhes de tudo que existe
Pára prá respirar e perceber

22 de março de 2012 / dosesdeincoerencia

.

lembrar de não desanimar
não lembrar de desanimar
não lembrar de não desanimar
não desanimar
não lembrar
não ouvir
não 

viver.

 

 

22 de março de 2012 / dosesdeincoerencia

Ouvido de mercador

Não sou só ouvido, muito menos mercados.
E é inclusive para isso que vivo, desenvolver habilidades no campo da percepção e atenção e não cair na pele dos mercadores que vagueiam todos os dias quase como fantasmas.
Transitam como sombras e não sentem…
nada…
por si ou por ninguém.
Preferem a vida fácil de dizer que se importam, mas nem ao menos sabem seu nome. 
Um mercador.
Seus ouvidos são surdos, sua alma jazida em perturbação e preguiça. E, como vampiros, sugam a vitalidade de qualquer alma que sonha. 

Se não tenho medo? Não preciso.
Quando tentam se aproximar, lembro-os que um dia tiveram vida. O que para eles foi tão enfadonho e tão trabalhoso, que preferem sair de perto, para que não se contaminem com uma alma cheia de sonhos.

 Sou sim um sistema complexo e  elaborado – entre outras coisas – de ouvidos, nariz, olhos, boca, sentimentos, sensações, sonhos e alma!